sexta-feira, 4 de junho de 2010

Pura insanidade


E hoje me veio aquela sensação insana de que a qualquer momento você bateria à minha porta com aquele sorriso tão familiar e único. Pensar dessa forma foi no mínimo estranho, e isto me fez, por alguns instantes, olhar o relógio esperando aquela hora combinada para você aparecer, até que a noção daquilo que ainda me resta do que é possível me fez cair na real, me fazendo sentir uma grande idiota, talvez a mais imbecil de todo o mundo, ou talvez só mais uma garota apaixonada que se priva do direito de sonhar.
Bem, caí do cavalo onde eu estava montada bem atrás de um príncipe disposto a me salvar do marasmo e da dor que me causa a solidão. E alí, no chão, ferida e arrazada, eu vi o príncipe ir embora e não fiz nada além de sufocar um grito de dor, grito este que me estrangula e me aperta a garganta com tamanha força que as palavras que eu deveria dizer simplesmente não saem e me priva de expressar.
Pois é... creio que eu não tenha mais nada a acrescentar neste texto melodramático. Sinceramente já cheguei a pensar se não faria mais sucesso como escritora de novela mexicana, porque talento para dramas eu tenho de sobra e, só para constar, isso não é bom!

Um beijo e até a próxima, prometo que vou tentar escrever alguma coisa feliz, ok? :*

2 comentários:

  1. Mas agora você sabe o que fazer, nunca se prive do direito de sonhar, NUNCA!

    ResponderExcluir